Gratuita, cartilha dá dicas de segurança para usuários de internet

Juliana Leite

Em um mundo em que as pessoas estão cada vez mais conectadas, seja através de computadores, tablets e celulares, o uso da internet de forma segura se torna cada vez mais necessário. Embora o tema seja recorrente, a maioria dos internautas ainda desconhece os cuidados básicos que podem garantir tranquilidade virtual, pessoal e moral. O projeto “Segurança na Rede” apresenta inúmeras sugestões para quem quer se proteger de criminosos cibernéticos. O diferencial da proposta é que ela é gratuita e atende os anseios do público de todas as idades.

Para o coordenador do projeto, o advogado especialista em Direito Digital e Crimes Cibernéticos, Fernando Peres, não se trata apenas de saber sobre os possíveis perigos na rede. “É evitar danos e dores de cabeças futuras no uso da internet”, comentou.

Ele aponta que o conteúdo da cartilha já é difundido, mas apresenta um material que dialoga de forma direta e específica para temas como Redes Sociais, Lojas Virtuais, Internet Banking, Senhas, Redes Wifi e uso de Antivírus.

“Acho que poucos pararam para pensar no uso e em manter o antivírus atualizado no tablet e celular. Esses aparelhos também são sucetíveis a invasão. São dicas simples, que todo mundo conhece, mas que acabam esquecidas muitas vezes”, comentou.

O alerta para o uso de smartphones de forma segura se reforçou nesta terça-feira (10), quando o Banco do Brasil confirmou que o aplicativo com sistemas para IPhone e Android falhou e possibilitou a usuários acesso a extratos e dados de outros clientes. De acordo com o BB, o problema ocorreu na noite de segunda-feira (9) e já teria sido solucionado.

O advogado também lembra que quem acessa a internet através do celular também deve se atentar para a utilização das redes Wifi desconhecidas. “Há mal intencionados em todo lugar. É preferível evitar acessar sites de banco, redes sociais, e-mails. É melhor não dar oportunidade para um problema”, destacou.

A cartilha com todas as dicas foi disponibilizada no site Segurança na Rede. O projeto indica a empresários a distribuição do documento para servidores ou então o compartilhamento através do endereço eletrônico de cada empresa.